What Contemplation Is Not…

“2. What Contemplation Is Not

The only way to get rid of misconceptions about contemplation is to experience it. One who does not actually know, in his own life, the nature of this breakthrough and this awakening to a new level of reality cannot help being misled by most of the things that are said about it. For contemplation cannot be taught. …”

New Seeds of Contemplation – Thomas Merton

 

“2. O que a Contemplação Não É

A única maneira de nos livrarmos das falsas concepções sobre a contemplação é experienciá-la. Uma pessoa que não saiba realmente, na sua própria vida, a natureza desta descoberta e desta consciencialização de um novo nível de realidade, não pode evitar ser enganado pela maioria do que é dito sobre ela. Pois a contemplação não pode ser ensinada. …”

 

Novas Sementes da Contemplação – Thomas Merton

 

 

 

EUROPA

It’s time!

The hour to rise!

They bring fear and hate in leashes!

Barking mad to our people!

Their allies, the dogs of hell state!

Europa is at stake!

Call the legions, summon the generals!

Stand with hope, courage and freedom!

It’s our liberty they fear, our unbridled vision!

Look to them, strip them of the smoke where they hide!

Then stand strong!

Show that an enormous war has to be lost!

To defeat one of the biggest achievement of humanity!

 

I see friends and strangers,

where I usually stand,

and I see them also in the other lands,

what make us is our choice,

for respecting the other, for freedom, for the “rule of law”!

Europa!

 

(I wrote this shortly after Brexit and the refugee crisis “peak”)

Choice

 

To have choices.

That’s a choice of false answers.

It’s more a matter of seeing.

And more than not we don’t see.

What do we really choose?

I’ve chosen fewer than I want to admit,

if and only if, not choosing is not a choice.

The chosen choices were sent from others,

I only chose of not rejecting them,

I’m here now after many non-choices,

trying to choose what to do next,

choosing what I can or continue to not choosing.

They say the choices get fewer and fewer,

are they really? Were they really?

Let’s choose really choosing!

First impression on GAUDETE ET EXSULTATE

Although the statements against neo-pelagianism and neo-gnosticism have evident and high profile cases, in this exhortation it’s asked of us to check if ourselves have some of this sin in our lives. I’ve considered this and must humbly ask forgiveness to God and all brothers and sisters for those sins in my life. I’ve a lot to thought about and pray.

partilhar uma oração | share a prayer

Hoje gostaria de partilhar uma pequena oração/comentário que faço após rezar o Pai-Nosso, no fundo o que faço é começar do fim e o que resulta é uma pequena reflexão sobre ser cristão. E é assim, após o Pai-Nosso:

 

Libertai-nos do mal;

Quando caímos, ajuda-nos a levantar;

Perdoámos todas as ofensas que nos deviam;

Perdoai-nos as muitas ofensas que devemos;

Todos os dias dá-nos o Caminho a Verdade e a Vida;

Para que nos transformemos;

E assim possamos acolher o Espirito Santo;

E através: da Tua Compaixão, do Teu Amor, da Tua Misericórdia e da Tua Bondade;

Permite-nos contemplar-te Deus nosso Senhor.

 

 

Today I would like to share a small prayer/commentary that I make after praying the Our Father, bottom line is that I start from the end, and the result is a small reflexion about being Christian. So, after Our Father:

 

Free us from evil;

When we fall, help us rise up;

We forgave all the grievances that were due to us;

We ask forgiveness for the many grievances we owe;

Every day give us the Way, the Truth and the Life;

For that we may transform ourselves;

And in that way we can embrace the Holy Spirit;

And thru: Your Compassion, Your Love, Your Mercy and Your Kindness;

Permit us to contemplate You God our Lord.

Uma incrível aula de teologia

Dia 3 de Abril de 2018

 

Depois de almoço fui a igreja, como por vezes faço para rezar um pouco antes de voltar ao trabalho. Desta vez entrou comigo uma senhora. Entrei ajoelhei-me para rezar um Pai-Nosso como faço antes de sentado rezar com o terço. Nesse momento ouvi os passos da senhora a aproximar-se da capela mor e logo em seguida começou a falar em voz alta a sua oração. O que ela disse e a forma como o disse mostram uma fé em forma e significado que me deixaram surpreendido. Não entendi todas as suas palavras, mas penso que ouvi as suficientes, pois a oração foi repetida diversas vezes, apenas com pequenas variações.  Começou por falar com Deus e dizer que Deus é Amor e é um Deus vivo, repetidas vezes que é um Deus vivo. Em seguida revelou que acredita num Deus de amor, com afecto e carinho. E que o Pai de Jesus é muito sofredor pois Jesus que sofreu muito, morreu na cruz, ela que ainda o vê na cruz na igreja, fez então o incrível pedido de dizer a Deus que a pascoa já passou e que podia tirar o filho da cruz, que ele já sofreu demais, pois ela também sofre a sabendo o que é sofrer não quer que ninguém sofra assim, nem o Pai nem o Filho e aí de um modo também surpreendente inclui a sofredora mãe, Maria. Acrescentando que uma mãe e um Pai não poderiam permitir que o filho ficasse na cruz, que sofresse o que ele sofreu. Aí a questão de como foi possível tal acontecer, disse-o numa forma simples com um “não entendo” repetido a voz baixa. Mas que apesar de não compreender, disse que Deus sabe o que faz e Maria também sabe o que faz, pois o pai e a mãe sabem o que fazem. Em seguida fez um desafio de fé, no fundo pediu um milagre que já aconteceu, mas que penso tem de continuar a acontecer todos os dias, que quando ela voltar aquela igreja, Jesus já não esteja a sofrer pendurado na cruz mas ao lado do Pai que o ama e que é Amor, e que lhe dê afecto, carinho e amor. E a mãe também. Os dois devem conversar e depois tirar o filho da cruz. Pois existem pessoas boas e pessoas más, mas ela não quer que Deus continue a sofrer, quer um Deus feliz. Depois de o repetir de uma forma ou outra rezou um Pai-nosso para se preparar e sair, orou á Trindade e começou a sair. Antes de sair pela porta lembrou-se de mais uma coisa, e voltou, aí pediu que Deus que tem a sua mãe cuidasse dela e lhe perdoasse, e que lhe desse afecto e carinho. E que lhe mandasse uma mensagem: que ela manda beijinhos, sente muito a sua falta e que era muito boa mãe. De seguida rezou de novo um Pai-Nosso e invocou a Santíssima Trindade e saiu.

A_plaque_set_in_the_pavement_at_No_4_Tiergartenstrasse
Placa evocativa do Aktion T4

Eu em silêncio, primeiro com um sorriso, depois com um enorme ámen silencioso, rezei com ela e amei-a como uma irmã em Deus, como alguém com uma fé maior, e agradeci repetidas vezes a Deus por me dar a graça de ter assistido aquela oração e daquela forma. Aquela senhora já tinha cabelos brancos e sei que com a sua condição muito poucos vivem tantos anos o que a torna num presente e uma dádiva enorme para todos os que temos privilegio de habitar nesta terra com ela. Nela vi Jesus, vi amor pelos que sofrem, mesmo que sejam deuses, vi uma compreensão e uma compaixão verdadeira. Isto torna-a numa pessoa sábia e admirável. E lembrei-me do facto de que diversas sociedades, em diversos tempos puseram e põe de lado pessoas parecidas com esta mulher, para matarem ou negligenciarem por não serem “uteis” ou “normais”, é apropriado aplicar aqui o seguinte: “Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem” (Lc 23, 34).